Breno Barros

Photographer
Worked With Photographers



    Worked With Models

Sou um captor de almas. E a alma está nua.
Fotografias digitais e analógicas.

Meu nome é Breno Barros, e eu sou um fotógrafo amador de Belém, PA, Brasil.

Eu trabalho essencialmente com nus, usando ambas fotografia digital e analógica, embora prefira trabalhar com filme.

Eu gosto de trabalhar com fotografia experimental, e uma das técnicas que mais me encantam é a múltipla-exposição de uma película fotográfica. Eu gosto de combinar fotografias de nus em ambientes terrestres e subaquáticos, onde um mesmo modelo interage consigo próprio em cada uma das exposições. Faço o mesmo com fotografias de estúdio e externas, porém com outro enfoque, perdendo o ar etéreo que a fotografia subaquática proporciona.

Trabalho com fotografia de nus há cerca dez anos, quase sempre em ambientes naturais, envolvendo bosques e água. Mais recentemente comecei os projetos de duplas- e múltiplas-exposições em analógica com o propósito de criar novos conceitos, mais lúdicos e oníricos em minha fotografia, além de lançar novos desafios em meu processo criativo.

As fotos combinando ambientes aquáticos e terrestres brincam com a dualidade de sensações, em um projeto denominado “Anima:aminA” (anima, latim para “alma”; e amina, latim para compostos orgânicos proteicos que decaem, favorecendo a decomposição da carne).

As fotos em múltiplas-exposições em estúdio compoem outro projeto, “La boutique de l’âme” (a boutique da alma), que brinca com a questão de quantas almas são necessárias para cada indivíduo.

As câmeras que utilizo em ambos são Nikonos V com filme marcado para as duplas-exposições com o Anima:aminA; e Mamiya 645 e Smena 8M com o La boutique de l’âme. No dia a dia, também uso outras rangefinders como a Zeiss-Ikon Voigtlander Vitessa 500L e Polaroid 600SE.

É com muito prazer que submeto meu material para a We Are Something Else Magazine, e espero poder contribuir novamente no futuro!

Albums and Galleries